Aceitar!

Este website utiliza cookies para assegurar uma melhor experiência no nosso website. Saber Mais

pt
en

informações

214 124 300

Notícias

Joaquim Chaves Saúde | Teresa Manafaia - Alimentação indicada para combater a COVID-19

16/04/2020

16/04/2020

Joaquim Chaves Saúde | Teresa Manafaia - Alimentação indicada para combater a COVID-19

Sabia que, segundo o British Medical Journal (2 de Abril de 2020), 50 a 80% dos infectados com Covid-19 não tem qualquer tipo de sintoma? Contudo, também sabemos que, mesmo as pessoas sem sintomas poderão contagiar outras, e que aquelas que se encontram com o sistema imunitário comprometido, podem sucumbir a esta doença. Por isso, todo o cuidado é pouco, na proteção dos mais idosos, e daqueles que já têm complicações de saúde prévias, como diabetes, obesidade, doença coronária, etc.


O status do sistema imunitário joga um papel fundamental na severidade dos sintomas aquando de uma infecção, e pode ser determinante na progressão da doença.


Como podemos dar armas ao nosso sistema de defesa, para que um possível contacto com este (e outros!) vírus, seja benigno?


Em primeiro lugar, a alimentação! Esta constitui um dos pilares fundamentais à construção de um bom sistema de defesa. Ao longo de todo o ano, e particularmente nesta fase, é importante alimentar-se (e suplementar-se) com algumas regras:


Escolher alimentos/suplementos ricos em vitaminas A, D, E e K, tal como omega-3 (óleo de fígado de bacalhau, peixes gordos, como sardinha, ovos de galinha de ar livre), assegurar a vitamina C (limão e outros citrinos, morangos, pimentos e todas as folhas verdes), zinco, selénio, cobre, magnésio (algas, sementes, como sementes de abóbora, e oleaginosas como castanhas do Brasil, nozes, avelãs, etc), ferro (beterraba, folhas verde escuras e carne de animais de pasto, feita segundo a boa tradição portuguesa, ou seja, no tacho, em base aquosa e sem queimar), colagénio (o caldo de ossos, a canja de miúdos de aves)... e a lista poderia continuar com outras iguarias, como o gengibre, as bagas (em breve estarão aí os mirtilos, cheios de fitoquímicos preciosos para combater infecções), o cacau, etc!


Resta sublinhar que as formas de confecção mais simples são as que mais preservam os nutrientes dos alimentos, pois alguns são termossensíveis, ou seja, são destruídos por altas temperaturas. Os cozidos a vapor, ou os salteados, usando as maravilhosas especiarias que temos ao nosso alcance (ex: curcuma combinada com pimenta preta), são as formas preferenciais.


Até breve e desejos de boa saúde!


Teresa Manafaia - Responsável pela consulta de Fisiologia e Otimização Metabólica 

(https://bit.ly/3conatG)



Este texto foi escrito ao abrigo do antigo acordo ortográfico. 

Partilhar esta notícia

Novo!Vídeo Consultas
Porque a saúde não pode parar

Novo!Vídeo Consultas
Porque a saúde não pode parar